Em razão do aumento da criminalidade noticiado diariamente na mídia, sobretudo nas grandes cidades, a segurança patrimonial em ambientes comerciais é, hoje, um dos temas que mais demanda a atenção por parte do gestor de segurança.

Nesse cenário em que os riscos patrimoniais são frequentes, investir em alternativas para evitar roubos na empresa se tornou uma demanda comum a qualquer tipo de negócio.

Enquanto o Poder Público não é capaz de conter do crescimento do número de ocorrências, resta às próprias organizações buscarem soluções para atenuar o problema, já que são elas as principais prejudicadas.

Vale lembrar, por exemplo, que os roubos podem implicar graves prejuízos ao negócio, como a paralisação total das atividades, em razão da subtração de um equipamento indispensável às operações ou, ainda, danos à saúde dos funcionários.

Contudo, apesar do cenário negativo, com as medidas certas, é possível melhorar a segurança da empresa, evitando furtos, roubos e outras ações criminosas. A seguir, listamos quatro dicas que o ajudarão a minimizar esse problema. Continue lendo e confira!

1. Limite o acesso dos funcionários a determinadas informações

Em muitos casos, os roubos e furtos nas empresas acontecem a partir do vazamento de informações privilegiadas e que facilitam a ação criminosa.

Por isso, é fundamental que a companhia tenha uma política mais rígida quanto ao acesso à informação, deixando informações sensíveis sob o domínio de um número menor de pessoas.

Esse tipo de medida reduz a possibilidade de vazamento de dados, como senhas de acesso, rotinas de segurança, além de informações sobre a própria infraestrutura do prédio.

O mais recomendado, nesse caso, é que tanto as informações quanto credenciais de acesso ou chaves fiquem restritas a poucos colaboradores e funcionários — especialmente aqueles que, de algum modo, dependem desse tipo de privilégio para exercer suas funções.

2. Ajuste os sistemas internos e rotinas de segurança

Um dos grandes erros na hora de promover a segurança interna nas empresas está no uso indevido dos sistemas e rotinas de segurança. Apesar de possuir os recursos necessários, muitas empresas acabam utilizando-os de maneira equivocada, dando margem para que erros e rupturas na segurança ocorram.

A exemplo: por mais que se contrate uma empresa terceirizada para realizar a segurança do ambiente, é preciso atestar a idoneidade desse prestador de serviço, assegurando que a empresa contratada é confiável, assim como os funcionários por ela cedidos.

Nesse ponto, é importante lembrar que seguranças costumam ter amplo acesso às instalações da empresa, podendo facilmente permitir a entrada e saída de pessoas não autorizadas ou passar informações sobre o local.

Outro exemplo interessante para evitar roubos na empresa é válido para o comércio, principalmente: pouco adianta ter todo um sistema de segurança composto por câmeras e alarmes, se o caixa fica próximo da porta do estabelecimento.

Do mesmo modo, nada disso adianta se a “sangria” dos caixas é feita apenas ao final do expediente. Percebe como ações simples, quando somadas, podem garantir ainda mais segurança?

Por fim, vale mencionar a importância de se treinar os funcionários e colaboradores da empresa, a fim de que saibam reconhecer riscos e, principalmente, saibam a agir nesse tipo de situação.

Ou seja, é preciso estabelecer uma verdadeira cultura de segurança. Esse tipo de cuidado, somado à infraestrutura, tornam o ambiente muito mais rígido.

3. Conheça os riscos mais comuns da região

Todas as cidades, especialmente as grandes, possuem regiões com maiores índices de criminalidade. Logo, é preciso se atentar a esse ponto, não só na hora de abrir uma empresa, mas também na hora de desenvolver suas atividades.

Tomando como base, por exemplo, o fluxo de pessoas circulando na região, pode-se definir o melhor horário de funcionamento, evitando manter o estabelecimento aberto em horários menos movimentados e que são mais suscetíveis a ações de criminosos.

Além disso, a posição física da empresa também deve ser avaliada. Nesse sentido, se ela está situada ao lado de terrenos não edificados, é preciso adaptar a segurança do local a essa realidade, instalando câmeras na parte externa, além de mecanismos que impeçam o acesso pelos muros.

Já as empresas que se localizam em pontos distantes e isolados precisam manter uma vigilância em tempo integral, exigindo, por exemplo, a contratação de empresas terceirizadas.

4. Invista em soluções inovadoras

Atualmente, a tecnologia é uma das grandes aliadas das empresas quando o assunto é a segurança patrimonial.

Recursos sofisticados como o monitoramento remoto via sistemas de câmeras IP, controle de acesso por biometria e até leitura de íris, entre outras soluções inovadoras, tornam o ambiente muito mais seguro e o acesso, muito mais rigoroso.

Nesse contexto, fica claro que uma das formas mais eficazes de otimizar a segurança interna e evitar roubos na empresa é a partir de investimentos em modernas soluções de segurança.

Evidentemente, cada empresa pode necessitar de equipamentos e sistemas distintos, a depender o seu porte, fluxo de pessoas e atividade-fim.

No entanto, independente de tais variáveis, é preciso reconhecer a importância de investir naquilo que há de mais eficiente para atender às demandas do negócio no quesito segurança. A título de exemplo, citamos algumas tecnologias que podem ser úteis:

Raio-x

Hoje, com a sofisticação da ação dos criminosos, cada vez mais se exige mecanismos mais eficientes na identificação de riscos à segurança.

Um grande exemplo é o raio-x, tecnologia altamente robusta, capaz de identificar ameaças no interior de malas, caixas e containers, reduzindo drasticamente os riscos de ações criminosas.

Dada a eficiência dessa solução, são comumente utilizadas em aeroportos e aduanas, mas também podem ser aplicadas em transportadoras, hotéis, controle de perdas de supermercados, eventos, centros de distribuição,
datacenters e fábricas por exemplo.

Detector de metal

Assim como o raio-x, o detector de metal também pode oferecer um reforço extra no controle de acesso de pessoas e mercadorias às dependências de uma empresa. Esse tipo de equipamento é, sem dúvida, um dos mais utilizados na segurança de ambientes, como em grandes eventos.

Por fim, como vimos, algumas ações simples podem reforçar a segurança e evitar roubos na empresa. A tecnologia, nesse contexto, desponta como a principal ferramenta, fornecendo soluções inovadoras e adaptadas às mais diversas necessidades e realidades dos negócios.

Caso tenha restado alguma dúvida ou queira compartilhar suas impressões conosco, sinta-se à vontade. Deixe seu comentário abaixo!